sábado, 1 de outubro de 2016

Dia Mundial da Música

Hoje, 1 de Outubro, é Dia Mundial da Música. Num texto que gostei particularmente, intitulado "Música e equilíbrio dos elementos", presente em Breve Notas sobre Música [sobre o qual falei aqui], Gonçalo M. Tavares reflecte sobre a sua influência fisiológica e a sua capacidade de nos «alvoraçar». 


«Há muito se sabe: a música é um dos meios de mais rapidamente alvoraçar a fisiologia humana. Compete com a ligação amorosa e com o desejo.

Os antigos mestres chineses, por exemplo, dividiam as notas em meios-tons e faziam corresponder a cada meio-tom uma sensação psicológica.


A música é uma potência de reacções químicas; uma forma de contágio imediato. A tristeza ou a alegria da música passam para quem escuta.

No fundo, temos duas entidades, duas substâncias: a pessoa que escuta e a música. E o que acontece é uma espécie de osmose ao nível dessas grandes partículas que são os seres humanos. Há a passagem de elementos de um lado para o outro, na tentativa de se obter um equilíbrio do conjunto. E eis, então, que no fim da música triste quase parece que a música ficou menos triste e o ouvinte mais. O ouvinte e a música transformam-se num único elemento.

Absorve-se a música como se absorve algo que está no ar e não se vê. É, de facto, uma substância - e essa substância sonora pode ter uma carga triste, alegre, neutra, melancólica ou excitante. E são raras as substâncias do mundo capazes de provocar reacções tão distintas.»


Sem comentários:

Enviar um comentário