quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Roteiros por Beja #3: No Museu Jorge Vieira e no Núcleo Museológico da Rua do Sembrano

A manhã do passado dia 4 foi dedicada a visitar dois locais: o Museu Jorge Vieira - Casa das Artes e o Núcleo Museológico da Rua do Sembrano 

Inaugurado em 1995 por iniciativa de Carreira Marques, o presidente da Câmara Municipal de Beja de então, no Museu Jorge Vieira - Casa das Artes encontra-se um conjunto de esculturas, maquetas e desenhos da autoria de Jorge Vieira (1922-1998), nome maior da arte portuguesa do século XX.

Pai do surrealismo e do abstraccionismo português, inspirava-se em Picasso e, nas suas obras, dava primazia à terracota, ao ferro, ao mármore e ao bronze. Além disso, foi um apaixonado pelo Alentejo que, não sendo o seu local de nascimento, se tornou seu pela afectividade com que as suas gentes o recebiam, motivo pelo qual escolheu Beja para receber as doações realizadas.


Encontram-se obras públicas da sua autoria em Lisboa (Homem Sol), Estremoz (Monumento ao Mármore), Grândola (Monumento à Liberdade), Osaka, entre outros locais, além da presença em diversas colecções nacionais e internacionais. Em Beja pode encontrar-se o Monumento ao Preso Político Desconhecido, neste momento instalado em frente à Pousada de S. Francisco, além das peças presentes no museu, claro.

De realçar que este museu necessita de claras obras de reabilitação ou, melhor ainda, de uma transferência para um local com melhores condições e acessibilidades. 


Sobre o Museu Jorge Vieira - Casa das Artes:
Localizado na Rua do Touro, n.º 33, está aberto de Terça-feira a Domingo, das 9h30 às 12h30 e das 14h às 18h (encerra à 2ªfeira, 1/01, 1/05 e 25/12). É gratuito e não acessível a visitantes com mobilidade reduzida. Fonte: CMBeja


O Núcleo Museológico da Rua do Sembrano situa-se no que antes seria uma casa privada na qual, ao entrar em obras, se encontraram vestígios que levaram às escavações ocorridas nos anos 80 e 90. 

Graças a elas foram encontrados inúmeros vestígios que indicam a ocupação daquilo que hoje é Beja desde a Pré-História à Época Contemporânea, incluindo uma larga muralha da Idade do Ferro e termas do período romano, que podem ser facilmente visualizados devido ao chão em vidro que constitui o piso do Núcleo.


Existe uma exposição permanente com objectos retirados das escavações que nos fala da ocupação pré-romana de Beja e de Beja Romana, na Antiguidade Tardia, Islâmica, Medieval, na Idade Moderna e na Época Contemporânea.


Encontrava-se igualmente patente outra exposição, mas de carácter temporário: Sob a Terra e as Águas - 20 anos de arqueologia entre o Guadiana e o Sado, apresentando diversos vestígios descobertos ao longo dos trabalhos desenvolvidos relativos ao Alqueva. Numa selecção apurada entre mais de duas mil peças, encontram-se, desde o Paleolítico até à Idade Moderna,  objectos cuja descoberta vai permitir reescrever a História.


O painel de azulejos localizado à entrada do Núcleo, dedicado ao ciclo da água, é da autoria de Rogério Ribeiro e, pessoalmente, acho-o lindíssimo e digno de ser paulatinamente admirado.



Sobre o Núcleo Museológico da Rua do Sembrano:
Localizado na Rua do Sembrano/Largo de S. João, está aberto de Terça-feira a Domingo das 9h30 às 12h30 e das 14h às 18h (encerra à Segunda-feira, 1/1, 1/5, 25/12). É gratuito e  acessível a visitantes com mobilidade reduzida. Visitas guiadas, gratuitas, em português, inglês ou castelhano, deverão ser marcadas com antecedência através do telefone 284 311 920. Fonte: CMBeja

Sem comentários:

Enviar um comentário