sexta-feira, 26 de agosto de 2011

fénix


( via Pinterest )

fénix 
insofrida
requeimada
retorcida
asas
em frenesim
sonhos e cinzas 
esvoaçantes
ser desgraçado
sou eu
que te falo

pela janela em que te vi
repouso
o meu regaço
brilham
como brasas
as duas lágrimas
escorrem

olhas 
como quem 
não quer 
quer
tudo de mim

lábios teus 
anelos
me pedem
infalível a fraqueza
estremece
alma e corpo
te dou

fénix 
insofrida
requeimada
retorcida
tuas asas
procuro
e
ardo 
não sei quem sou.

Sem comentários:

Enviar um comentário